Leia a história de San Ferdinando d'Aragona

Ferdinando d’Aragona (Aragona, 1030 – Alvignano, 27 giugno 1082) è stato un vescovo di Caiazzo, considerato santo dalla Chiesa cattolica.

biografia

Fernando de Aragão, segundo a tradição era de linhagem real aragonesa, nasceu por volta de 1030. Entregou-se a uma vida espiritual solitária e contemplativa, na Itália foi peregrino a Roma e ao Santuário de San Michele in Gargano. Chegou também como peregrino à Campânia, onde se deteve no bosque perto de Caiazzo.

Durante a sua vida realizou numerosos milagres e depois da sua morte muitos lhe foram atribuídos. Considerado taumaturgo desde a adolescência, acredita-se que tenha trabalhado nas serras de Caiatini, curando enfermos, cegos, aleijados e libertando os oprimidos de espíritos malignos; a "reputação de santidade" que lhe foi atribuída levou os fiéis de Caiazzo a elevá-lo à cátedra de bispo, vaga desde a morte do bispo Argisio em 1070.

Enquanto peregrinava no território de Alvignano, foi acometido por uma forte febre e após três dias, em 27 de junho de 1082, morreu. Seu corpo foi enterrado na igreja de Santa Maria di Cubulteria.

O culto e a tradição popular na província de Caserta

A tradição popular atribui várias formas de veneração à figura do bispo, incluindo lendas devocionais relativas a vários milagres.

Atualmente parte das relíquias estão guardadas em uma urna sob a estátua dedicada a San Ferdinando na igreja de San Sebastiano Martire, em Alvignano.

milagres

Um desses milagres diz respeito à descoberta de seu corpo: seu sepulcro, de fato, permaneceu desconhecido até 1465 quando, segundo a tradição, durante a colheita do trigo perto da igreja de Santa Maria di Cubulteria, alguns camponeses, depois de ver um barril de vinho "transbordar duas vezes", eles teriam encontrado seu corpo.

Altro evento miracoloso che la tradizione attribuisce a Ferdinando d’Aragona riguarda il tentativo, fatto il 9 agosto 1619 dal vescovo di Caiazzo, Filomarino, e dai fedeli, di trasferirne le spoglie nella cattedrale di Caiazzo: arrivati al confine, a causa di un violento temporale, la mula che trasportava l’urna funeraria si sarebbe inginocchiata rifiutandosi di proseguire.

Após a decisão do bispo de retornar a Alvignano, a mula se levantaria e o sol voltaria a nascer no caminho de volta. Então, após numerosas orações, Filomarino transferiu algumas relíquias para a catedral de Caiazzo que foram colocadas no busto de prata da estátua dedicada a São Fernando.

Um terceiro milagre teria ocorrido em 1656: Fernando teria preservado as populações de Alvignano e Dragoni de uma epidemia de peste. Diz-se que os fiéis se reuniam em oração no túmulo de Fernando para que todas as noites a basílica brilhasse com luzes e que todos os sábados da Quaresma acontecia uma procissão perto do túmulo.

Ci fu anche un quarto miracolo: negli anni 60 del Novecento, il Rettore del Santuario dell’Addolorata in Alvignano voleva trasferire le reliquie al Santuario, dimora più decorosa. Caricata l’urna su un’automobile, questa non poteva essere messa in moto, il Rettore si recò allora a spingerla, ma all’improvviso si abbatté un enorme temporale e si arrese.

A urna foi depositada numa capela privada perto da residência habitual do Santo e aí permaneceu até ao translado do corpo do Santo para a Igreja de São Sebastião para ser colocado numa valiosa urna do século XVIII após o recente reconhecimento.

Partidos

29 de abril: ad Alvignano da tempo immemorabile si svolge la processione in onore di san Ferdinando d’Aragona.

Os fiéis, sobretudo os camponeses, às primeiras luzes da manhã, reúnem-se na localidade de "Fraolise" e, tendo formado uma procissão com uma cruz de madeira e a efígie do santo na cabeça, dirigem-se para a igreja de São Pedro e Paul, cantando canções folclóricas e fogos de artifício; aqui recebem a bênção e partem com a estátua em direção à Basílica de Santa Maria di Cubulteria (hoje dedicada a São Fernando) onde se celebra uma missa de ação de graças pelas colheitas nos campos. Finalmente, a procissão retorna à igreja dos Santos Pedro e Paulo e, após outra bênção solene, a assembléia se dissolve.

27 de junho: É a festa litúrgica do santo, por ocasião do aniversário da morte de Fernando de Aragão, em memória do chamado milagre da peste de 1656, realizam-se duas procissões ao raiar da aurora.

Um partindo da igreja de San Sebastiano em Alvignano com a estátua e as relíquias do santo e outro da igreja da Annunziata em Dragoni e indo para a basílica de San Ferdinando; enquanto a procissão vinda de Dragoni chegava à fronteira municipal com Alvignano (sobre uma ponte localizada na via Ferrari) acende-se uma fogueira, rezam-se orações e invocam-se hinos em honra do santo até que a fogueira seja consumida, depois a procissão continua até chegam à basílica onde são aguardados pelos peregrinos que chegaram primeiro de Alvignano.

Vengono celebrate le funzioni religiose con la celebrazione della S. Messa in onore del Santo patrono e Protettore delle terre di Alvignano e di Dragoni, dopodiché al termine delle funzioni religiose l’assemblea di Dragoni con la statua del Santo riparte verso il proprio paese mentre la statua con l’urna contenenti le reliquie del Santo soggiorna l’intera giornata nella sua antica dimora e l’assemblea si scioglie.

Ao entardecer do mesmo dia, a assembléia se reúne novamente na Basílica, a procissão recomeça com procissão de tochas, oração e cantos populares, segue em direção à igreja de San Sebastiano, aguardando a chegada da estátua com as relíquias, que é acolhida por povo festivo e fogos No final, celebra-se a missa na igreja arciprestal de San Sebastiano.

Segundo domingo de julho: é a festa do padroeiro em Alvignano: realiza-se uma feira e a estátua e as relíquias do padroeiro são transportadas da igreja de San Sebastiano em procissão pelas ruas da cidade. Estas festividades duram três dias.

Terceiro domingo de julho: em Dragoni é uma festa patronal e, como em Alvignano, o padroeiro é San Ferdinando d'Aragona. A procissão com a estátua da santa sai da igreja Annunziata e percorre a cidade.

Primeiro domingo de agosto: San Ferdinando também é celebrado na igreja de Santi Pietro e Paolo, sempre em Alvignano; sua estátua é levada em procissão junto com as estátuas dos apóstolos Pedro e Paulo, de Sant'Anna e Sant'Antonio di Padova.

29 de outubro: em Caiazzo é festa patronal; É celebrado o bispo Santo Stefano Minicillo, nesta ocasião também é celebrado San Ferdinando d'Aragona porque, como seu predecessor, Santo Stefano são co-padroeiros da diocese de Caiazzo.

fonte © Wikipédia

San Ferdinando d'Aragona padroeiro de Alvignano

São Fernando de Aragão 1
São Fernando de Aragão 4

Hoje, 27 de junho, é a festa litúrgica de San Ferdinando d'Aragona (1030 ca-1082 ca), de sangue real espanhol, bispo de Caiazzo; um grande santo que por mais de nove séculos uniu as comunidades de Alvignano e Dragoni, das quais é patrono, em uma devoção sincera e firme.

O documento mais antigo que atesta a sua existência real é um pergaminho do Arquivo Episcopal Caiatino datado de 1231 que relata «Beato Ferrando confessori in eadem ecclesia quiescenti» e «in ecclesia Sancte Marie de Cornello coram arca beati Ferrandi». Mais precisamente, esta escritura notarial foi lavrada na atual igreja de San Ferdinando in Alvignano e exatamente em frente ao túmulo do «bem-aventurado» Ferdinando.

San Ferdinando
Igreja de San Ferdinando d'Aragona, anteriormente de S. Maria di Cubulteria, em Alvignano.

No entanto, convém desde já esclarecer que o nosso não se confunde com outro santo do mesmo nome, São Fernando III (1198-1252), rei de Castela e Leão. Esta interpretação imprecisa é desmascarada pela escritura notarial que acabamos de mencionar e lavrada 21 anos antes da morte do rei espanhol, ocorrida precisamente em 1252.

Curioso, comunque, è l’aneddoto del ritrovamento del suo corpo dopo secoli di abbandono: quello della “botte di san Ferdinando”. Durante i lavori della mietitura nella campagna alvignanese, alcuni contadini posero una botte di vino sopra una pietra all’ombra della basilica diruta.

Il vino, perciò, avrebbe traboccato dalle congiunture tra le doghe della botte. Spostatala da quel luogo non avrebbe emesso più alcuna goccia e ripetuto più volte l’esperimento si riconobbe la natura miracolosa del fenomeno.

Com esta notícia surpreendente, o bispo Caiatino chegou ao local com o clero e, ao remover a pedra, foi encontrado o sepultamento esquecido de São Fernando. Depois, houve muitos impedimentos sobrenaturais do santo para impedir que suas relíquias fossem transferidas para a catedral de Caiazzo, e assim foram colocadas sob o altar-mor da basílica de Santa Maria in Cornello di Alvignano.

Na tradição local, o santo era usado sobretudo contra pestes e febres, mas provavelmente o maior milagre a ele reconhecido foi a libertação de Alvignano da famosa peste de 1656 que atingiu todo o reino de Nápoles, dizimando metade de sua população. Conta-se que durante a epidemia a basílica de São Fernando foi iluminada à noite por uma luz sobrenatural, confirmando sua proteção.

Storicamente provata, ancora, è la devozione dei re aragonesi di Napoli come quella del re Alfonso I che nel 1443 concesse ad Alvignano di tenere ogni anno una fiera in onore di san Ferdinando la seconda domenica di luglio.

Mas a tradição também nos transmitiu que o nosso santo pertencia à família real aragonesa. O mesmo soberano, de fato, confirmou seu parentesco com São Fernando e em uma das abóbadas em que viveu em Caiazzo levou para si uma bacia e uma caneca de prata que segundo a tradição haviam pertencido ao santo, retribuindo a catedral com um bom recompensa caiatina.

Catedral de Caiazzo, busto de prata de San Ferdinando d'Aragona, de Matteo Treglia, 1706.
Catedral de Caiazzo, busto de prata de San Ferdinando d'Aragona, de Matteo Treglia, 1706.

O culto a São Fernando ultrapassou as fronteiras da diocese de Caiatina quando em 1626 o Bispo De Sio deu o maxilar com dentes de presente ao Sacro Imperador Romano Fernando II de Habsburgo. Depois de várias vicissitudes, esta relíquia foi transferida para o Piemonte, para Casale Monferrato, onde ainda se conserva na capela das relíquias do Santuário de Crea.

La venerazione degli abitanti di queste contrade, poi, si espresse anche in campo artistico riempiendo le chiese della diocesi di numerose rappresentazioni del santo vescovo.

L’affresco più antico che si conosce risale al XV secolo ed è ubicato nella chiesa dell’Annunziata di Alvignano; un altro, datato 1531, si trova nell’antichissima chiesa di San Mauro, sempre ad Alvignano.

Ma le effigi cui sono più legati i fedeli sono i quattro busti che vengono portati in solenne processione durante la festività. Il primo si trova nella chiesa dell’Annunziata di Dragoni; altri due sono conservati ad Alvignano di cui quello più antico, risalente al 1819, fu commissionato grazie alle donazioni delle più antiche famiglie alvignanesi che lo dotarono anche di una teca d’argento, di un anello e di una croce pettorale contenente una sua reliquia.

Finalmente, o quarto e mais importante busto é um magnífico trabalho em prata guardado na catedral de Caiazzo e feito em 1706 pelo famoso ourives e ourives napolitano Matteo Treglia, mais conhecido por ter feito a mitra de San Gennaro guardada no Museu do Tesouro de San Gennaro em Nápoles.

Portanto, os habitantes da diocese de Caiazzo - da qual São Fernando é co-padroeiro - são os guardiões de tal patrimônio espiritual, histórico, artístico e humano, que hoje, ao som dos sinos festivos, inaugurado por aquele colocado dentro caiazzo e dedicados ao santo, saberão homenagear um grande bispo, modelo perfeito de cristão, e saberão tornar-se capazes de uma nova evangelização e do renascimento do cristianismo na diocese.

fonte © Tommaso Tartaglione Especialista em História – Centro de Estudos de Caserta

Ultimo aggiornamento: 31 Gennaio 2023 9:17 by Remigius Robert

Avatar de Remigio Ruberto

Olá, sou Remigio Ruberto, pai do Eugenio. O amor que me liga a Eugenio é atemporal e atemporal.

Deixe um comentário