Tempo di lettura: 3 minuti

Meditação em colinas íngremes e falta de ar

Colina

O início do passeio, nas colinas, é simples.

Você ainda está preso nos lampejos de compaixão, todos o abraçam, você ainda está atordoado pela dor, denso e sombrio, e não consegue olhar além dessa cortina de fumaça, que envolve sua vida no momento.

Sei convinto che ce la farai, ti vengono in mente tanti progetti per il domani, pensi e ripensi al passato con un piede nel futuro, ma la collina prima o poi lascerà lo spazio alle difficoltà della montagna.

Senti già il fiato che si fa corto: ogni giorno tocchi il freddo marmo e senti che rimarrai attaccato ad esso, e sarai così certo che la tua vita si libererà di quel fardello pesante ed insormontabile del lutto, della perdita di tuo figlio. Ti seppellirai con lui, e così finiranno tutte le tue pene.

Se fosse assim tão simples.

Montanha

E enquanto a subida se torna cada vez mais íngreme, a montanha mostra-se em todo o seu esplendor poderoso e opressivo.

Num momento de despertar do torpor diário percebes que existem sobreviventes, existe a tua filha mais nova, que agora é mais velha, é única, também está sozinha. É fácil perder o equilíbrio agora. A natureza estática da estrutura mudou, os equilíbrios mudaram, precisamos nos mover com o universo circundante.

E dá-lhe força, aquela pequena força que lhe permite mover os membros para mais um dia, espero que para o próximo.

A respiração fica curta, os músculos não aguentam o esforço, o cérebro fica fora de sintonia.

A cama torna-se a tua segunda casa, o sofá envolve-te nos seus redemoinhos, as redes sociais deslumbram-te com as suas notícias variadas e inúteis, anestesiam-te, dão-te aqueles pequenos momentos em que te tornas parte de outras famílias, de outros problemas, de outras realidades, talvez esfumaçadas, certamente inexistentes.

O cérebro está descontrolado, as batidas do coração perdem a sonoridade: o espaço ao seu redor gira na velocidade de uma máquina de lavar quebrada.

Onde estou, quem sou eu?

Tuo marito ti chiama, tua moglie ti chiama, tua figlia ti chiama, tua suocera ti chiama, tua mamma ti chiama: tutti ti vogliono, ma nessuno ti tende la mano. Nessuno ti dona un attimo del suo tempo.

Sua voz, sua mão

Aqui, sou eu” … quem é você, onde você está?

Ciao papà, ciao mamma. Sono tuo figlio. Sono qui, sono sempre qui, sono sempre stato qui e sempre lo sarà, accanto a te. Non mi vedi perché non guardi; non mi senti perché c’è troppo rumore di silenzio. Chiudi gli occhi e mi vedrai. Apri il cuore e mi sentirai. Accendi la tua anima e ci toccheremo ancora, e ancora.

Eu vejo você, eu ouço você, eu te abraço, nós nos importamos mão.

Esta é a vida.


Aiutaci ad aiutare!

Fiato corto 9
Con una tua piccola donazione portiamo un sorriso a piccoli malati oncologici

Da leggere: