Ato de Consagração ao Imaculado Coração de Maria

Leia a íntegra do Ato de Consagração ao Imaculado Coração de Maria

Ato de Consagração ao Imaculado Coração de Maria
Imaculado Coração da Bem-Aventurada Virgem Maria

Ó Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, nós, nesta hora de tribulação, recorremos a vós. Tu és Mãe, amas-nos e conheces-nos: nada te é oculto sobre o que nos importa. Mãe de misericórdia, muitas vezes experimentamos a tua ternura providente, a tua presença que restaura a paz, para que sempre nos conduzas a Jesus, Príncipe da Paz.

Mas perdemos o caminho para a paz. Esquecemos a lição das tragédias do século passado, o sacrifício de milhões que morreram nas guerras mundiais. Desconsideramos os compromissos assumidos como Comunidade das Nações e estamos traindo os sonhos de paz dos povos e as esperanças dos jovens. Adoecemos de ganância, fechamo-nos em interesses nacionalistas, deixamo-nos secar pela indiferença e paralisar-nos pelo egoísmo.

Temos preferido ignorar Deus, viver com nossas falsidades, alimentar agressões, tirar vidas e acumular armas, esquecendo que somos guardiões do próximo e da própria casa comum. Destruímos o jardim da Terra com a guerra, ferimos com o pecado o coração do nosso Pai, que nos quer irmãos. Nós nos tornamos indiferentes a todos e a tudo, exceto a nós mesmos. E com vergonha dizemos: perdoa-nos, Senhor!

Na miséria do pecado, nas nossas lutas e fragilidades, no mistério da iniquidade do mal e da guerra, tu, Santa Mãe, recordas-nos que Deus não nos abandona, mas continua a olhar-nos com amor, ansioso por nos perdoar e levante-nos novamente. Foi Ele quem nos deu a ti e colocou no teu Imaculado Coração um refúgio para a Igreja e para a humanidade. Por bondade divina estás conosco e mesmo nas curvas mais estreitas da história nos conduzes com ternura.

Por isso, dirijamo-nos a vós, deixe-nos, vossos queridos filhos, bater à porta do vosso Coração, a quem não vos cansais de visitar e convidar em todos os momentos à conversão. Nesta hora sombria, venha nos ajudar e nos consolar. Repita a cada um de nós: "Não estou aqui, que sou sua mãe?" Sabeis desatar os emaranhados do nosso coração e os nós do nosso tempo. Nós depositamos nossa confiança em você. Estamos certos de que vós, sobretudo no momento da prova, não desprezais as nossas súplicas e vindes em nosso auxílio.

Foi o que fizestes em Caná da Galileia, quando apressastes a hora da intervenção de Jesus e introduzistes no mundo o seu primeiro sinal. Quando a festa se transformou em tristeza, disse-lhe: "Eles não têm vinho" (Jo 2,3). Repete-o a Deus, ó Mãe, porque hoje esgotamos o vinho da esperança, esvaiu-se a alegria, diluiu-se a fraternidade. Perdemos a humanidade, desperdiçamos a paz. Nós nos tornamos capazes de toda violência e destruição. Precisamos urgentemente da sua intervenção materna.

Aceite, portanto, ó Mãe, este nosso apelo.

Tu, estrela do mar, não nos deixes naufragar na tempestade da guerra. Tu, arca da nova aliança, inspiras projetos e caminhos de reconciliação. Você, "Terra do Céu", traz a harmonia de Deus de volta ao mundo.

Apague o ódio, apazigue a vingança, ensine-nos o perdão.

Livra-nos da guerra, preserva o mundo da ameaça nuclear. Rainha do Rosário, desperta em nós a necessidade de rezar e de amar. Rainha da família humana, mostra aos povos o caminho da fraternidade. Rainha da paz, obtenha a paz para o mundo.

O teu pranto, ó Mãe, comove os nossos corações endurecidos. As lágrimas que você derramou por nós fazem florescer novamente este vale que nosso ódio secou. E enquanto o barulho das armas não silencia, sua oração nos dispõe à paz. Que vossas mãos maternais acariciem os que sofrem e fogem sob o peso das bombas. Seu abraço materno consola aqueles que são forçados a deixar suas casas e seu país. Que o vosso Coração aflito nos mova à compaixão e nos impulsione a abrir as portas e cuidar da humanidade ferida e descartada.

Santa Mãe de Deus, enquanto estavas debaixo da cruz, Jesus, vendo o discípulo ao teu lado, disse-te: "Eis o teu filho" (Jo 19,26): assim confiou a ti cada um de nós. Depois, ao discípulo, a cada um de nós, disse: «Aqui está a tua mãe» (v. 27). Mãe, agora desejamos recebê-la em nossas vidas e em nossa história. Nesta hora, a humanidade, exausta e distorcida, está sob a cruz com você. E ele precisa confiar em você, para se consagrar a Cristo por meio de você. O povo ucraniano e o povo russo, que vos veneram com amor, recorrem a vós, enquanto o vosso Coração bate por eles e por todos os povos dizimados pela guerra, pela fome, pela injustiça e pela miséria.

Nós, portanto, Mãe de Deus e nossa, solenemente confiamos e consagramos ao teu Imaculado Coração a nós mesmos, a Igreja e toda a humanidade, especialmente a Rússia e a Ucrânia. Acolha este nosso ato que realizamos com confiança e amor, faça a guerra parar, dê paz ao mundo. O sim que saiu do vosso Coração abriu as portas da história ao Príncipe da Paz; confiamos que ainda, através do seu Coração, a paz virá. A vós, portanto, consagramos o futuro de toda a família humana, as necessidades e as expectativas dos povos, as ansiedades e as esperanças do mundo.

Através de você são derramados na Terra o Misericórdia divina e o doce batimento cardíaco da paz volta a marcar nossos dias. Mulher de sim, sobre a qual desceu o Espírito Santo, trazei de volta entre nós a harmonia de Deus, saciai a sede do nosso coração, vós que "sois fonte viva de esperança". Tu teceste a humanidade a Jesus, torna-nos artífices da comunhão. Tu percorreste os nossos caminhos, guia-nos pelos caminhos da paz. Um homem.

fonte © Dicastério para a Comunicação

Fonte oficial: vaticano.va

Última atualização: 22 de agosto de 2022 19:37 por Remigius Robert

Avatar de Remigio Ruberto

Olá, sou Remigio Ruberto, pai do Eugenio. O amor que me liga a Eugenio é atemporal e atemporal.

Deixe um comentário